Coreia do Norte nega ataque à Sony Pictures

O Governo da Coreia do Norte após um período de silêncio finalmente veio a público negar a responsabilidade do ataque informático a 24 de Novembro à Sony Pictures. Os hackers do Grupo GOP (Guardians Of Peace) fizeram várias exigências e que se a Sony não cumprisse sofreria retaliações.

Uma vez não cumpridas as exigências o GOP partilhou inicialmente filmes da Sony Pictures em vários sites de torrents. Após uns dias lançou na net várias informações confidenciais como dados sobre empregados, folhas de vencimento entre outras coisas.  Públicou de seguida em vários sites passwords e nome de utilizadores de vários serviços da empresa. Finalmente quando tudo se pensava ter acabado, na sexta-feira passada o GOP enviou um mail a ameaçar funcionários da Sony Pictures e e seus familiares .

Durante todo o período em que a Sony Pictures sofreu estes ataques e tentava recuperar, havia vários indicios do envolvimento da Coreia do Norte nos ataques mas nada de concreto. A suspeita baseava-se fundamentalmente em comentários de funcionários do Governo de Pyongyang que consideravam um acto de Guerra o filme “Uma entrevista de loucos”. Após o ataque e de todo o burburinho gerado pelo assunto o governo norte coreano manteve-se sempre em silêncio.

Hoje 7 de Dezembro, o governo da Coreia do Norte veio informar que nega qualquer envolvimento nos ataques à Sony Pictures, embora ache que foi um acto de justiça e que este possa ter sido efectuado por apoiantes e simpatizantes da Coreia do Norte.