Cubanos irão ter mais facilidade no acesso à internet

Com a melhoria das relações diplomáticas entre os Estados Unidos da América (EUA) e Cuba, é normal que certas sanções também desapareçam. Apesar de ainda se sentir tensão nas relações entre estes dois países, restos da guerra fria, nota-se que desde a substituição de Fidel Castro por Raúl Castro houve uma aproximação entre Cuba e EUA e consequentemente um afrouxar da tensão entre as duas nações.

Do lado cubano terá de haver algumas concessões para que esta relação não se detiore. Parte das concessões será facilitar o acesso às comunicações e facultar a liberdade de expressão. Na prática significa que os EUA poderão exportar equipamentos de comunicações, tais como, smartphones, tablets, software, aplicações e hardware que permita criar uma infra estrutura de comunicações melhor.

A Telcos será autorizada a estabelecer uma rede de comunicações de voz, texto e internet que facilite a comunicação entre cuba e os EUA. Se por um lado a população cubana irá ganhar mais alguma liberdade com estes serviços, podendo matar a saudade e falar com os seus entes queridos que residam nos EUA e resto do mundo, por outro lado, os EUA viram em Cuba a oportunidade de inserir os seus produtos e serviços num país tecnologicamente obsoleto.

Quem já viajou para Cuba conhece os meandros da realidade daquele país. A internet em Cuba apresenta velocidades muito baixas, é inconsistente, é controlada e cara. Apesar de se dar mais um passo para a liberdade, poucos vão ser os cubanos que irão conseguir ter dinheiro para aceder a este tipo de serviços.