Fitness trackers não são aparelhos mágicos para emagrecer

Faz já alguns anos que um amigo me disse que para emagrecer tinha de se inscrever num ginásio. Após alguns meses e numa conversa sobre perca de peso com este mesmo amigo, eis que me diz uma conversa da qual nunca mais me  hei-de esquecer.

“Disseram-me que para emagrecer tinha-me de inscrever num ginásio, o que não me disseram é que tinha de lá ir.”


O mercado dos wearables não pára de florescer com fitness trackers melhores e com mais características. Desde funcionarem completamente autónomos ou emparelhados com aplicações irmãs nos smartphones, é possível um individuo seguir de perto a sua evolução física ao pormenor.

Cada vez mais artilhados com valores instantâneos ou ao longo das 24 horas, da frequência cardíaca, consumo de calorias, distância percorrida, avaliação do sono, e muitas outras coisas, os fitness trackers não são mais que aparelhos para motivar.

Grande parte da prática do exercício físico é proveniente da motivação, pelo que o usar um fitness tracker no pulso não é mais do que um estímulo para lembrar o utilizador que tem de ir correr ou fazer qualquer coisa.

No caso dos fitness trackers, o factor motivação é mais forte enquanto o aparelho for novidade, pelo que para o indivíduo continuar a prática de exercício físico regular, há que manter a motivação apoiando-se também noutros factores motivacionais.

Segundo um estudo do Journal of the American Medical Association os wearables são mecanismos facilitados da mudança, no entanto, estes aparelhos por si só não proporcionam a mudança. Os factores individuais, a competição social e o feedback são factores que juntamente com os wearables fazem a mudança acontecer.

A OSCAR é uma startup de seguros Norte Americana, que encara os wearables como fonte motivacional de comportamentos saudáveis premiando quem mantiver hábitos de vida saudáveis registados por um fitness tracker.

Agora já sabes que para emagrecer não basta usares a Fitbit Charge que o Pai Natal te trouxe, tens de calçar as sapatilhas e ir para os asfalto!

1 Comment

  1. Sentimentos de homem pssam-se as vezes por uma via no vaco.