Hospital de Los Angeles usa HealthKit para monitorizar 80 mil clientes

Apple-HealthKit-2Uma aplicação ou plataforma é tão grande, quanto a quantidade de pessoas que a usam. Quem conhece a plataforma de saúde da Apple, o HealthKit, consegue perceber o potencial que esta pode ter no que diz respeito a recolha de dados para estudos e decisões clínicas.

Este fim de semana a empresa fundada por Steve Jobs, conseguiu dar um grande passo no ramo da saúde. Ainda em fase experimental, a empresa de Cupertino, conseguiu que 80 mil clientes do Cedars-Sinai Medical Center tenham a possibilidade de partilhar os seus dados com o HealthKit.

Na prática, os técnicos de saúde daquela instituição, vão poder ter acesso aos dados médicos, recolhidos através do HealthKit.

Quantas vezes somos confrontados com algum tipo de sinal ou sintoma e quando chegamos ao médico já estamos bem, dificultando o diagnostico e a prevenção de uma recorrência?

Através do HealthKit dados como a saturação de oxigénio, o peso, tensão arterial, frequência cardíaca, glicose e peso, ficam guardados para memória futura.

Se tivermos em conta que o Apple Watch contém vários sensores que podem registar os parâmetros vitais durante todo o dia, facilmente consegue-se perceber, que quando ligado ao Health Kit, é como se andássemos com dispendiosos equipamentos médicos atrás de nós.

Nesta fase experimental não se consegue adivinhar muita coisa. Ainda está por ver a adesão dos clientes do Cedars-Sinai Medical Center, assim como dos clínicos desta instituição.

Segundo a Apple já existem cerca de 900 aplicações capazes de se integrar com o HealthKit e 14 Hospitais encontram-se a desenvolver programas piloto, com a plataforma de saúde da Apple. Basta entrar numa grande loja online e ver que existem alguns equipamentos, como balanças, medidores de tensão arterial ou da saturação de oxigénio que se integram perfeitamente com o HealthKit.