Hungria volta atrás e não aplica taxa de internet

O governo da Hungria decidiu voltar atrás na aplicação da taxa sobre a transferência dados na internet. O primeiro ministro Viktor Orban, afirmou hoje que a taxa não poderia ser aplicada nos moldes actuais, pelo que não avançou com a aplicação.

A taxa a ser aplicada (50 cêntimos por cada gigabite) foi alvo de protestos em massa em frente à sede do partido de Viktor Orban. Milhares de protestantes com os seus aparelhos e periféricos de computadores gritaram contra a aplicação da taxa.

Além da população, a taxa foi objecto de contestação pela união europeia. Os protestantes alegavam como razões para a não aplicação da taxa, o peso económico sobre as economias familiares, assim como o risco de perda de liberdade.

O primeiro ministro Viktor Orban, raramente volta atrás numa decisão, mas a impopularidade da taxa, permitiu-lhe unir a oposição, passar a mensagem que não são comunistas e que a vontade do povo conta. Retirou deste modo armas aos partidos da oposição, que poderiam usar esta taxa como argumento contra as políticas de Orban.

Este volte face mostrou ao mundo que a união faz a força! É com pena nossa que o povo português tenha aceite a nova taxa dos direitos do autor de ânimo leve.