Já é possível usar cerâmica em impressoras 3D

Não é novidade que as impressoras 3D vieram mudar a perceção que tinhamos das antigas impressoras em papel e alterar completamente o paradigma de que se é para imprimir só poderá ser feito em duas dimensões.

Apesar das impressoras 3D permitirem tradicionalmente imprimir usando materiais polímeros plásticos, alguns metais e mais recentemente vidro, investigadores dos laboratórios HRL, descobriram uma forma de usar cerâmica em impressoras 3D.

Para usar este material nas impressoras 3D, os investigadores tiveram de recorrer a alguns truques, visto que o pó de cerâmica ao ser aquecido resultava em demasiadas fendas microscópicas que comprometiam o trabalho final.

O truque utilizado para se conseguir um bom resultado, foi desenvolver um polímero “pré cerâmico”, que se converte em cerâmica ao ser aquecido.

Este método é compatível com uma técnica de precisão usada em impressoras 3D denominada de estereolitografia onde a luz, geralmente de um laser é usada para solidificar o objeto. A mesma equipe de investigação descobriu que recorrendo ao uso desta técnica, mas usando a luz ultra violeta como fonte de luz conseguia imprimir a mesma peça de cerâmica 100 a mil vezes mais rápida do que se usasse o lazer.

Este estudo suscitou o interesse da DARPA, que reconhece a importância da cerâmica na industria aeroespacial. Basta imaginar as possibilidades do uso da cerâmica nas impressoras 3D, para perceber a sua utilidade nas viagens espaciais, onde qualquer reparação tem de serefetuada a milhares de quilómetros do planeta terra. Salienta-se que atualmente as naves espaciais contêm placas de cerâmica na sua fuselagem.