Midia espanhola quer que o Google News regresse

Não há dúvidas que a Internet é como um sistema que quando se mexe num elemento os outros ressentem-se. A semana passada, o governo espanhol exigiu à Google que pagasse à midia espanhola por cada vez que seu conteúdo fosse exibido no site. A resposta gigante da informática não se fez esperar e será desligar do google News todos os principais jornais do país, incluindo El Pais e o La Vanguardia.

Como podemos ver isto é uma má notícia tanto para os utilizadores do google como para os próprios jornais, que têm de sobreviver na era da internet. Tendo em conta que grande parte  do tráfego é gerado em pesquisas, ao excluir a Google, os jornais criaram para si um grande obstáculo ao “pedirem” para ser excluídos do maior motor de busca do mundo diminuindo o seu alcance e número de visitantes.

Associação de  Editores de Jornais espanhóis (AEJE) emitiu um comunicado dizendo que dada a sua posição dominante no mercado  a decisão da Google, “sem dúvida, terá um impacto negativo sobre os cidadãos e empresas espanholas “.

Ou seja, a AEJE queria o melhor dos dois mundos, que a Google pagasse pelas notícias e queriam ser indexados ao motor de busca.
Num comunicado do porta voz da Google em Espanha lê-se:

“Esta nova legislação exige que cada publicação espanhola seja cobrada a serviços como o Google News, nem que seja para mostrar um pequeno excerto das suas publicações, quer queiram ou não. Como o próprio Google News não faz dinheiro (visto não mostrar qualquer tipo de publicidade no site), esta nova abordagem não é sustentável. Portanto, é com verdadeira tristeza que a 16 de Dezembro (antes da nova lei entrar em vigor em janeiro) iremos remover todos os editores espanhóis do Google News, e fechar o Google News em Espanha “.

Em suma, o lobby da mídia espanhola teve uma surpresa pela qual não esperava e que vai provavelmente sair mais caro do que pensavam. Pedir dinheiro ao Google News é o mesmo que pedir para ser excluído do motor de busca da Google, o que não é de forma nenhuma uma boa política.