Uber ainda pode operar em Portugal

uber-portugalO Uber, a startup de “boleias pagas” tem enfrentado uma contestação global, com vários países a considerarem o serviço ilegal. Apesar de várias entidades por todo o mundo considerarem que o serviço sofre de falta de medidas de segurança, em Portugal o serviço foi considerado ilegal devido a uma provisão cautelar interposta pela ANTRAL (Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros) contra a Uber Technologies Inc.

Em Abril, o Tribunal da Comarca de Lisboa, aceitou a providência cautelar e proibiu a actividade em Portugal da Uber Technologies Inc, apesar disso, não sabemos se por sorte dos utilizadores do Uber ou se por erro da ANTRAL, a empresa que presta serviços em Portugal é a Uber BV, sediada em Amesterdão.

Sendo assim, a Uber, apesar de ter visto o seu sitio da internet bloqueado pelos ISP, tem toda a legitimidade de operar em Portugal, tanto que as suas aplicações continuam a funcionar normalmente no Porto e em Lisboa.

O que não conseguimos perceber é a indiferença das autoridades em apoiar um mercado livre de transportes com motorista. Apesar das contestações constantes dos taxistas em Portugal, a verdade é que estes continuam a não garantir a transparência dos seus serviços.

Queremos com isto dizer, sem intenção de ofender os profissionais deste serviço de transporte, que existem alguns que tudo fazem para garantir que o serviço pago seja mais caro e as informações de pagamento confusas, com taxas por tudo e mais alguma coisa.

O Uber, desde o momento que se pega na aplicação para pedir o transporte, oferece um serviço claro, onde o cliente sabe à priori em quanto vai ficar o custo do trajecto, sabe qual é o carro que lhe é destinado, com um pagamento simples sem manuseamento de dinheiro, visto estar associado a um cartão de crédito e tem a possibilidade de se avaliar o serviço.

Urge ao governo legislar este mercado e acabar com o monopólio das associações de taxistas. Para um governo que se afirma como pró empreendedorismo, não se consegue perceber o porquê da falta de dinamismo nesta área. Os portugueses agradecem e os turistas também!