Worm infecta central nuclear na Coreia do Sul

A rede de uma central nuclear sul coreana foi infectada com um worm. Um acontecimento grave como este é de fazer pensar que tipo de segurança informática possuem as centrais nucleares e o risco que as pessoas correm todos os dias.

Sem sombra de dúvida que andamos a viver um ciber guerra nos bastidores da internet. E como em todos as guerras há “soldados” que não acreditam em algumas medidas tomadas. Um operador de uma central nuclear recebeu uma mensagem no twitter a informar de que  a rede informática estaria comprometida. Felizmente os controlos do reactor não estavam infectados.

Apesar do Worm ser considerado de baixo risco, o Ministro da energia veio a público informar que provavelmente a infecção deu-se através de uma pen USB não autorizada, visto a rede da central nuclear não possuir ligações à internet.

Segundo a mesma fonte, o worm detectado não tem nenhuma ligação aos incidentes recentes na Coreia do Norte, nem reflecte a preocupação que a Coreia do Sul tem com a sua ciber segurança.

Este tipo de ataque informático é preocupante em qualquer parte do mundo, especialmente se tivermos em conta que envolve instalações nucleares e com consequências potencialmente devastadoras. A coisa agrava-se mais um pouco visto um terço da energia consumida na Coreia do Sul ser proveniente de instalações nucleares.

Há informações que a entidade gestora das centrais nucleares vai aumentar o número de funcionários TI, responsáveis pela ciber segurança, passando de 53 para 70 funcionários.

Fonte: Reuters via Gizmodo